Pesquisar

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Mahou Shoujo Madoka Magica

Faz muito tempo que eu não escrevo nada nessa budega de blog, mas não o faço por má vontade ou falta do que falar. Falta tempo (e quando tenho, geralmente estou meio distraído, então eu esqueço da minha vida das internetz). Mas pretendo voltar a publicar post com frequencia. Só não vou prometer, porque todas as outras vezes que eu prometi alguma coisa eu dei uma furada e não cumpri o prometido. Mas vou escrever sobre um anime/mangá que eu vi a algum tempo, e que achei sensacional, Madoka Mágica.

Pode não parecer, mas é muito maneiro.

O anime/mangá fala sobre garotas que tem poderes especiais, chamadas Mahou Shoujo (traduzido para o latim Puella Magi, ou Garotas Mágicas). Essas garotas ganham poderes através de um contrato com a entidade chamada Kyuubey, um misto de gato/raposa/coelho alienígena com poderes psiquicos. O contrato é firmado quando Kyuubey realiza um desejo de uma garota; esse desejo se torna a força que uma garota terá para enfrentar as Bruxas, espiritos que causam o desespero.

 
Da esquerda para a direita: Sakura, Sayaka, Mami, Homura e Madoka.

As Bruxas não podem ser vistas por pessoas comuns. Por serem causadoras do desespero, a presença de uma Bruxa geralmente causa assassinatos e suicidios na área próxima ao seu esconderijo (ou Barreira). No mangá, a Barreira geralmente é retratada com um visual dark, mas no anime é como se fosse um tipo de arte surrealista, os Familiares (pequenos auxiliares das Bruxas) parecem ter sido retiradas de outro tipo de mídia, como recortes de revista ou filmes de cinema antigos.

  
A primeira Bruxa a aparecer na série (esquerda), Gertrud, e seus dois Familiares, 

A parte interessante da série é que, embora num ritmo meio lento nos dois primeiros episódios, a partir do terceiro as coisas começam a fluir em um ritmo frenético. E as coisas sempre tem uma tendencia de ir de um estado ruim para algo ainda pior. Todas as coisas boas parecem ter seu lado negativo, que supera o positivo. A própria diferença entre as Puella Magi e as Bruxas é uma oposição, sendo as primeiras detentoras da esperança e do bem, e as últimas, manifestação da desesperança e do mal.


Arsenal de uma das garotas (incluindo um míssil militar O.O)


Outra coisa que me surpreendeu foi que, embora tenha o visual de um típico Mahou Shoujo (tipo de desenho que retrata garotas que se transformam para enfrentar um inimigo do mal, com roupas brilhantes, coloridas e cheias de frufrus enfeites, e com uma violência mínima), gênero que ficou conhecido no Brasil com Sakura Card Captor e Sailor Moon, ele não tem muito a ver com esse gênero. Embora não pareça, o anime tem bastante violência (isso porque algumas cenas mais pesadas do mangá foram adaptadas), e o clima de depressão e sempre parecer que tudo vai dar errado também o distanciam dos animes citados.

  
Cena da morte de uma das garotas (!!!!) no mangá e no anime.

A personagem principal é Kaname Madoka, uma garota sem carisma, de vida simplória e normal. Ela e a melhor amiga Miki Sayaka acabam entrando numa barreira e sendo salvas por Tomoe Mami, uma Puella Magi veterana. A partir daí elas começam a acompanhar Mami e se tornam aprendizes de Puella Magi, enquanto a aluna nova, a misteriosa Akemi Homura, tenta impedí-las de se tornarem Garotas Mágicas por razões não conhecidas. As habilidades de Mami e de Homura parecem equivalentes, mas a última parece ter mais conhecimento acerca das garotas mágicas, embora seja bem fechada e não compartilhe seus conhecimentos e habilidades com outras garotas, o que gera certa antipatia de algumas delas, embora Madoka ainda acredite nela.

 
Música de encerramento

Como eu escrevi ali em cima, o visual é incrível, até meio perturbador. Combinado com uma trilha sonora fantástica (em especial a música de encerramento, Magia), faz a pessoa se sentir um pouco mal (na primeira cena, além do cenário caótico, a música é tocada alguns tons acima, e mais acelerada), colaborando para o cenário meio deprimente do anime.

 
Design da barreira de uma Bruxa

Cheio de reviravoltas, o anime tem apenas 12 episódios (assim como o mangá tem 12 capítulos). Bem curtinho, mas ele te prende, eu mesmo não consegui parar de assistir e terminei em uns 3 dias, assistindo no busão na ida e na volta da faculdade, pelo notebook. Excelente pedida.